Escolha uma Página
Compartilhe essa newsletter

News of the week

Os acontecimentos mais importantes do mundo de inovação diretamente para você.

Uma das minhas histórias favoritas do Einstein conta que certa vez ele comentou com o seu motorista que estava cansado de dar a mesma palestra, repetindo o mesmo discurso. O motorista então propôs que trocassem de lugar um dia. Ele era um ator e tinha ouvido a palestra tantas vezes a ponto de decorá-la. O Albert adorou a ideia e topou. Na palestra, tudo começou a correr bem, o motorista realmente tinha decorado tudo, até que no final um professor fez uma pergunta que o motorista não sabia responder. Nesse momento Einstein pensou que a casa tinha caido mas o motorista olhou para o professor e disse: Essa pergunta é tão elementar que eu vou deixar o meu motorista (o Einstein) sentado aqui do lado responder!

What’s up

Os acontecimentos mais importantes da semana.

 

A5 no Vale do Silício

Essa semana a A5 deu um pulo no Vale, a Disney para um venture capitalist. E hoje participamos do Global Corporate Venturing & Innovation Summit. É um baita evento que reuniu grandes nomes como o Wendell Brooks, presidente da Intel Capital, o Quinn Li, Global Head da Qualcomm Ventures, a Sue Siegel, CIO da GE e CEO da GE Ventures, a Bonny Simi, presidente da JetBlue Technology Ventures, entre muitos outros. Além disso, há algumas horas o Renato Ramalho, sócio aqui da A5, participou de um painel do evento moderado pelo Andy Tsao do Silicon Valley Bank, discutindo The State of Fintech in Latin America. Não muda de canal que semana que vem venho com mais detalhes.

Trends to watch.

De olho nas tendências mundo afora.

 

Lucid Motors

Hoje em dia todo mundo só fala de Tesla, Elon Musk, Tesla, Elon, Tesla, Musk, Chega! Sem desmerecer, muito pelo contrário, mas existe vida além disso. Hoje vamos falar de um dos concorrentes, a Lucid Motors. Mas ao contrário da Tesla que esta cada vez mirando mais embaixo na escala de preço e luxo, o Lucid mira lá em cima. Quer bater de frente contra os sedãs mais luxuosos existentes no mercado. Tudo isso com a mesma pegada tech e ecológica que tornou a Tesla um sucesso global. Para isso trouxe dois parceiros de peso, a McLaren e a Samsung.

Os números são impressionantes. O seu modelo top de linha terá dois motores elétricos capazes de produzir 1.013 cv e uma autonomia de 643 km. Ele irá de 0 a 100 em 2,5 segundos e alcançará 375 km/h. O preço desse estará acima dos US$ 100 mil, porém também haverá uma versão de entrada na casa dos 60 mil (o preço dos melhores modelos da Tesla), com um motor mais mixuruca de 400 cv. Agora vamos ao interior. Primeiro de tudo é preciso entender a vantagem que um carro elétrico tem nesse quesito. Como o motor ocupa muito menos espaço, um carro da Lucid por exemplo consegue ser do tamanho de uma Mercedes classe E, com um interior maior que a classe S e a aerodinâmica de uma CLS. Os bancos de trás, por exemplo, reclinam até quase virar cama. Além disso, o carro vem com recursos ativados por comando de voz, sistema de condução semiautônoma e uma conectividade diferenciada de todos os modelos tradicionais não-Tesla do mercado.

Assim como o Musk, a produção da Lucid não andava um mar de flores, e a companhia do Vale do Silício estava anos atrasada pra colocar de pé a sua fábrica no Arizona e dar o pontapé inicial. Até que em setembro do ano passado o Fundo Soberano da Arábia Saudita investiu 1 bilhão de dólares neles, o que facilita as coisas não é mesmo? Enfim, pedi para o meu amigo Marques dar a volta em um e fazer um vídeo pra quem quiser ver melhor.

Deep dive

Uma seleção de artigos e reportagens interessantes.

 

A estratégia do Exército britânico para recrutar os millennials

3 min – Países como os EUA e o Reino Unido vivem constantemente em guerra. Isso torna um pouco mais difícil o recrutamento de jovens militares dado os riscos de vida que eles podem correr. Há muitos anos estudei por 6 meses em um High School nos EUA e vi em primeira mão militares vindo na escola fazer esse trabalho. Homens altos, fortes, bem vestidos e literalmente carregando malas de brindes para distribuir. Eles perguntavam se você gostava de vídeo game e falavam que ao se alistar você poderia virar piloto de drones, que seria bem parecido. Eles tentavam de tudo e conversavam com você o tempo que fosse necessário, porque realmente o trabalho não é fácil. O Reino Unido sofre com isso e desse modo passou a adotar uma estratégia inovadora em sua campanha, onde joga com a psicologia e os estereótipos dos millennials para atraí-los. Enquanto outros criticam essa nova geração por serem Zumbis do celular, viciados em selfies e emocionalmente frágeis, eles valorizam essas características como sinais de foco, confiança e compaixão. O recrutamento com base no senso de dever e obrigação abre espaço para o apelo no desenvolvimento pessoal e busca por um sentido na vida. Como eu disse, o trabalho é difícil e, portanto, tem que tentar de tudo! Brazil Journal

Apresentação de São Paulo feita no World Economic Forum em Davos

4 min – São Paulo é a segunda maior economia da América Latina, maior que a Argentina. Sua área é do tamanho do Reino Unido. Com 45 milhões de pessoas, seria o 31º país mais populoso do mundo, logo atrás da Espanha. Temos o maior porto da América Latina, dois dos aeroportos mais movimentados e 18 das 20 rodovias mais importantes do país. Também concentramos 74% dos investimentos em P&D e o melhor IDH do Brasil. E as oportunidades são inúmeras, inclusive como mostrado no vídeo, o desejo de criar o Vale do Silício brasileiro aqui em São Paulo. Realmente, somos mais do que um Estado, somos um Estado nação. Governo do Estado de São Paulo

NFL Big Data Bowl

2 min – Na última edição falamos sobre o tenis que amarra sozinho da Nike e como a tecnologia está vindo pra trazer cada vez mais performance para os atletas. Um dos esportes que está na vanguarda desse movimento é o futebol americano. E nesse final de semana teremos o evento do ano desse esporte, o SuperBowl. Se vai dar Rams ou Patriots eu não sei, mas o verdeiro campeão desse ano são os dados. Pela primeira vez na história, todos os times da NFL têm acesso a informações de seus jogadores em tempo real via chips instalados no uniforme. Eles conseguem registrar a localização de cada atleta a uma precisão de 12 vezes por segundo e assim como na Fórmula 1, os fãs terão acesso a essas informações. Coletar os dados é o primeiro passo, agora eles enfrentam o novo desafio de interpretar todas essas infos. Para isso a NFL criou o Big Data Bowl, uma competição que premia o data scientist que tiver os melhores insights, observando toda essa montanha de dados. O campeão ganha ingressos, mil dólares pra torrar em produtos da Liga e a chance de apresentar para os times e eventualmente ser contratado. Os desdobramentos desse uso são inúmeros e estamos só começando! NFL

“Nao tenho talentos especiais, sou apenas talentosamente curioso.”

 

Albert Einstein

© Copyright 2018
Todos os direitos reservados por A5 Capital Partners


Compartilhe essa newsletter