Escolha uma Página
Compartilhe essa newsletter

News of the week

Os acontecimentos mais importantes do mundo de inovação diretamente para você.

Com o sucesso de Harry Potter, Daniel Radcliffe se tornou a criança mais conhecida do mundo. Com a fama vieram os paparazzi. E a coisa ficou insuportável em 2007 quando ele estrelou a peça Equus. Toda vez que chegava e saia no dia do espetáculo os paparazzi o estavam esperando. Mas Daniel pensou em uma solução simples e efetiva. Ele sempre usava o mesmo casaco preto e chapéu verde. Com isso as fotos se tornaram impublicáveis pois pareciam que eram sempre do mesmo dia. Nas palavras do Daniel “Nada melhor que ver um paparazzi frustrado.”

News of the week

Os acontecimentos mais importantes da semana.

 

XP Expert 2019

Semana passada participamos da XP Expert, o maior evento de investimento do mundo. É nesse evento que a XP reúne seus clientes, agentes autônomos e principais fundos. Ou seja, um verdadeiro parque de diversões financeiro e também a maior concentração de coletes de nylon da história.

Em um momento de taxa de juros em baixa, eventos como esse são importantes para que as pessoas vejam que existe vida além da poupança e títulos públicos. Após o Plano Real, o Brasil vem convivendo com uma média anualizada de 13% do CDI. Agora com os juros baixos, investimentos alternativos devem ganhar relevância, entre eles o Venture Capital, mencionado por alguns dos principais gestores do país.

Mas também se falou sobre a tendência global de queda nas taxas de juros. Comentou-se sobre algumas causas para isso. A primeira é demográfica, com o envelhecimento da população e, portanto, mais poupadores. A segunda se relaciona com o avanço da tecnologia. As empresas se tornam mais produtivas e com necessidade de capital menor. Existem cada vez mais Facebooks e menos GMs, o que diminui o escopo de oportunidades de investimento.

Mas os investidores não querem ficar de fora desses deals. Até os mais tradicionais estão se mexendo. O próprio Jorge Paulo Lemann disse: “Há 1 ano e meio atrás me auto intitulei um dinossauro apavorado. Agora eu sou um dinossauro me mexendo. Já estou investido em 3 unicórnios brasileiros (Stone, Movile e Brex). Tem que correr atrás para não me tornar um dinossauro extinto.”

Por fim, vale falar sobre a palestra do Ben Bernanke, ex-chairman do FED. Ele foi a pessoa mais poderosa e influente do mundo no momento em que vivemos a pior crise das últimas décadas. Segundo ele o momento mais difícil da crise foi quando se reuniu com o Bush para recomendar que o governo libere 85 bilhões de dólares para uma empresa a beira da falência (AIG) no meio da crise. Para isso precisava de aprovação do congresso e segundo um senador a opinião pública estava dividida em 50/50. 50% “no” e 50% “hell no”. Mas ele fez uma boa analogia que resumiu bem a sua atuação na crise. Imagine que um homem está fumando na cama e a casa começa a pegar fogo. É um condomínio de casas de madeira e se o fogo se espalhar pode queimar os vizinhos todos. Deixar a casa queimar poderia até ser a punição mais justa no nível individual mas quando se olha o todo, cada casa representa milhares de empregos e não se pode correr o risco de queimar o condomínio todo. O melhor foi apagar o fogo e só depois lidar com os culpados. E os bailouts não foram tão bonzinhos. Envolveram entrega de participação acionária e altas taxas de juros. E quanto ao Ben, está super feliz em poder acordar de manhã, ler o Financial Times e saber que os problemas não são mais dele.

Trends to watch.

De olho nas tendências mundo afora.

 

Calm

A indústria de meditação está em alta. Já é um mercado bilionário nos EUA e apesar de mais de 2 mil aplicativos, 85% desse mercado é dominado por dois players. O grande pioneiro foi o Headspace. Fundada em 2010 e com 75 milhões de dólares em investimento, aos poucos a “CabeçaEspaço” foi crescendo e alcançou 1 milhão de assinantes em 2018. Mas esse foi o ano que sua vida deixou de ser tão zen. Foi o ano em que o seu concorrente começou a ganhar força e é dele que vamos falar hoje, o Calm.

Até 2017 o Calm possuía apenas 9 funcionários tão espremidos no escritório que para fazer reunião com terceiros eles marcavam no hotel da frente. Mas um simples insight começou a mudar a vida do “Calmo”. Viram que muitos dos seus usuários utilizavam o app após as 23h e imaginaram que era para ajudar a dormir. Apesar de meditação te deixar relaxado, o intuito dela não é fazer com que você durma. Por isso lançaram os Sleeps Stories, diversas histórias de nanar para adultos. Com a narração de algumas celebridades como Matthew McConaughey e outras como John Mayer e Harry Styles se revelando usuários, a Calm começou a se diferenciar. A gasolina no fogo chegou em dezembro de 2017 quando a Calm ganhou o prémio de Melhor App do Ano para iPhone.

Com isso o Calm também conseguiu bater o 1 milhão de assinantes e, assim, saltar sua receita de US$ 20 milhões em 2017 para US$ 80 milhões em 2018. Esse ano eles já estão em um Run Rate de US$ 150 milhões. Vamos parar um pouquinho para absorver essa informação. Estamos falando de um app de meditação que está faturando mais de meio bilhão de reais. E como não há grandes custos nesse tipo de geração de conteúdo, a empresa já é geradora de caixa há anos. O próprio Netflix com todos os seus mais de 130 milhões de assinantes ainda não conseguiu virar essa chavinha da rentabilidade. Mas calma que vamos falar mais disso no último texto dessa news de hoje. Voltando ao Calm, seus quase 150 milhões de dólares de investimento com certeza ajudaram a construir essa história mas eles conseguiram algo admirável: Sairam da miséria ao status de unicórnio em menos de 2 anos e fizeram isso sem nunca deixar de ser rentáveis.

Deep dive

Uma seleção de artigos e reportagens interessantes.

 

Unrating Vienna

Convenhamos, reviews podem ser bastante enganosos. E Vienna se utilizou disso em sua campanha para atrair turistas intitulada de “Unrating Vienna”. A campanha combina reviews reais e imagens do lugar onde se referem, expondo essa dissonância. Quartzy.

A5 ganha destaque no relatório do Insper.

“Um projeto interdisciplinar também ganhou destaque em 2018. Um grupo formado por alunos de Administração e Engenharia venceu a competição A5 Challenge, promovida pela gestora de investimentos A5 Capital Partners. Com o objetivo de estimular jovens estudantes que têm ideias inovadoras e desejam empreender, o desafio, que durou pouco menos de um mês, incluía o desenvolvimento de uma análise de mercado e de um plano de negócios para uma das startups do portfólio da A5, a Colab. Foram 210 participantes e 64 grupos, representando diversos estados brasileiros. O prêmio principal garantiu ao grupo a participação na Web Summit 2018, maior conferência de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo, que aconteceu em Lisboa, Portugal.” Esse ano tem mais! Insper.

The bigger they are, the harder they fall — WeWork and Uber’s fight against reality

O WeWork tem 1/10 do espaço e 1/7 das localidades que o seu concorrente, a IWG. Sua receita é menos da metade e enquanto a IWG lucra 200 milhões de dólares por ano, o WeWork queima quase US$ 2Bn. Mesmo assim o WeWork vale 10 vezes mais que a IWG. Vivemos em uma era em que o crescimento e um sonho grande tomam o lugar do histórico e da rentabilidade. O melhor é imaginar um Uber da vida como um foguete sendo lançado no espaço. Unit economics terríveis, CAC nas alturas, grandes despesas jurídicas, essas são a “força da gravidade” puxando o foguete para baixo. O dinheiro de VC é o combustível. A tese é que o foguete consiga combustível o suficiente para alcançar a órbita, onde finalmente a empresa conseguirá se tornar rentável. Mas até lá, se a qualquer momento o combustível parar, o foguete cai.

Tentar prever se vai dar certo ou não deixa de ser tão pautado em dados históricos e passa mais para o campo da imaginação. Prever uma disrupção não é para amadores. Anos atrás uma mãe inglesa diria para o seu filho: “Não entre em carros de estranhos, não entre em casas de estranhos e não sente tão perto da televisão.” Hoje esse menino pega Uber, se hospeda em AirBnB e não larga do celular. The Next Web.

“The only constant in the technology industry is change.

 

Marc Benioff

© Copyright 2018
Todos os direitos reservados por A5 Capital Partners


Compartilhe essa newsletter